Processamento de Dados



Pode-se dizer que o Processamento de Dados surgiu na antiguidade
com os pastores gregos contando suas ovelhas

ou tambem com os egípicios que demarcavam suas terras após as cheias do Nilo.





O abaco, instrumento utilizado pelos romanos no século III A.C., foi talvez o primeiro instrumento utilizado para a mecanização do cálculo. Nele os números eram representados por pequenas pedrinhas de cálculo.



Com o passar do tempo, o volume de conhecimento, ou seja, a quantidade de dados envolvidos na vida do ser humano aumentaram; o homem necessitou de novos meios para resolver seus problemas e de maior velocidade para ter acesso a estes dados. Sobre vários aspectos, as soluções manuais não atendiam mais os volumes de dados, e pequenas máquinas de calcular, arquivar, registrar, etc, passaram a fazer parte da paisagem dos escritórios e laboratórios.


Aplicações tais como controle de estoque, faturamento, análise de vendas, controle de contas correntes, cálculos científicos, que geralmente envolvem grande volume de dados, ganham maior agilidade quando são executadas com o auxílio de um Sistema de Processamento de Dados.

Assim são as máquinas, com suas múltiplas finalidades, apareceram e tiveram que acompanhar a humanidade no seu desenvolvimento.

Somente no século XVII que começou a surgir novos instrumentos para o Processamento de Dados, tais como:

1617 - régua de cálculo
1623 - máquina de calcular mecânica (rodas dentadas)
1645 - máquina de calcular mecânica (engrenagens)
1801 - tear comandado por cartões perfurados




No século XIX, em 1833, usando o modelo do tear, o matemático Charles Babbage (Inglaterra, 26/12/1791-18/10/1871) criou a primeira máquina automática controlado por programa.






Em 1890, Hermam Hollerith realizou o tempo de apuração do Censo de 7 para 1 ano, usando os cartões perfurados devidamente preenchidos e lidos, ao contrário de como era feito a apuração: um a um com registro manual.


O sucesso dos cartões estimularam seu uso e em 1835 surge a calculadora trabalhando sobre controle de programa.






Entretanto o grande passo para a criação de uma máquina programável - o computador - foi dado em 1947, quando surgiu o Mark I, com versão totalmente eletrônica, por válvulas. Com cerca de 17 metros de comprimento e 2,5 metros de altura, com um peso aproximado de 5 toneladas.


A partir de 1951 todos os computadores eram de válvulas e quilômetros de fios, oque tornava seu tamanho enorme.

Por volta de 1959 surge a revolução dos transistores e circuítos impressos, que substituiu válvulas e a maioria dos fios, reduzindo o seu porte físico e o tempo gasto para programá-los, pois já era possível utilizar comandos abreviados.

A partir de 1964, a IBM cria a SLT, onde microcircuitos possuem dimensões de um grão de sal e lançam a técnica VLSI (Very Large Scale Integration - Integração em grande escala), com os hardware possibilitando a construção de computadores fantasticamente menores e com maior capacidade.





Sistema de Processamento de Dados


Apartir do contato com o cliente, que apresentará um problema, todo o trabalho que envolver as diversas etapas desde os documentos, fontes, até os resultados, mais as máquinas utilizadas, constituem o que se cognominou: um Sistema de Processamento de Dados;

Existe basicamente, 4 etapas para o Sistema Processamento de Dados:


- definição do problema - do contato com o cliente ou o problema em si, deve-se [separar] os elementos e necessidades que o envolvem, com isso passa-se a entende-lo;


- análise do problema - é a esquematização da solução do problema, ou seja, trabalhar com os dados da definição do problema e planejar como alcançar os resultados que pretendemos;


- implementação - é a solução propriamente dita do problema, desenvolve-se os programas necessários a atender o cliente e/ou problema;


- documentação - consiste no arquivamento de todos os documentos, esquemas, tabelas, etc, que estejam relacionados com a solução do problema